Governo, Saúde

Amianto

Ainda estava no Jornal de Notícias, creio que em 2007, quando tive que me dedicar com maior atenção ao problema dos edifícios com amianto – e ao perigo potencial que isso causa a quem os frequenta. Confesso que o problema, mesmo que me preocupando, nunca me alarmou extraordinariamente. Até hoje.

A notícia de hoje da TSF não é uma notícia qualquer. Saber que num departamento com 70 pessoas, 19 tiveram já cancro e dez morreram não é uma conta qualquer. Porque tudo aquilo deixa qualquer pessoa normal em estado de choque. Pensava eu.

Infelizmente, logo pela manhã percebi que não. Porque ouvi o secretário de Estado da Energia a dizer que, enfim, estava a tratar do assunto, mas que era preciso calma, porque nisto do Estado há muitas burocracias, que estamos em austeridade e que, pronto, ainda será preciso a autorização da ministra das Finanças para mudar aquela gente de lugar. Eu, que tinha chegado a pensar que tinha sonhado com aquele som, despertei para o pesadelo há pouco, vendo-o na SIC a responder esta pergunta: “Como se sentirá se se confirmar que o edifício provoca cancro». E ele respondeu: “Ficarei muito feliz por ter despoletado o processo de mudança”.

E, ouvindo isto, só dá para perguntar: mas este senhor dorme descansado?

P.S. Um caso destes faz pior a este Governo do que um Orçamento de Estado. Aparentemente ninguém lá dentro percebe isso.

Advertisements
Standard